TRAM(A)NTROPOFÁGICA



TRAMA


COMEMORANDO QUINZE ANOS A COMPANHIA ANTROPOFÁGICA DE TEATRO ESTREIA O PROJETO TRAM(A)NTROPOFÁGICA E REVISITA TODOS SEUS ESPETÁCULOS E EXPERIMENTOS


Vai começar a TRAM(A)NTROPOFÁGICA, novo projeto da Companhia Antropofágica que marca os quinze anos de trajetória. O público é convidado a conhecer a história da companhia em mais de cento e quarenta dias de atividades que incluem temporadas, diálogos, intervenções, entre outros.



ACOMPANHE A PROGRAMAÇÃO PARA SE INSERIR NESTA GRANDE TRAMA!



PROGRAMAÇÃO - DE SETEMBRO

09/09/2016 – Sexta - Horário: 20h00

KABARÉ ANTROPOFÁGICO

(Sábados)
10, 17 e 24 de Setembro
01 e 08 de Outubro de 2016
Horário: 18h00

TRYLOGIA TERROR E MISÉRIA NO NOVO MUNDO:
Parte I - Estação Paraíso

(Sábados)
10, 17 e 24 de Setembro
01 e 08 de Outubro de 2016
Horário: 20h00

TRYLOGIA TERROR E MISÉRIA NO NOVO MUNDO:
Entre a Coroa e o Vampiro Parte II O Império

(Domingos)
11, 18 e 25 de Setembro
02 e 09 de Outubro de 2016
Horário:19h00

TRYLOGIA TERROR E MISÉRIA NO NOVO MUNDO:
Parte III Autópsia da República





O PÚBLICO SERÁ CONVIDADO PARA UMA VIAGEM NO TEMPO E NO REPERTÓRIO DA ANTROPOFÁGICA


Dona de um extenso processo de criação, estudo, experimentação e um significativo currículo com prêmios e indicações, a Companhia Antropofágica é um importante grupo da cena teatral de São Paulo, criado em 2002, que tem a antropofagia como princípio motivador de seu processo sócio-artístico. No auge de seus quinze anos de trabalho coletivo contínuo, o grupo recentemente contemplado na 28ª edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo, se prepara para iniciar um grande e potente projeto que traz em sua forma, elementos que buscam traduzir qualidades já presentes em seu modo de criação, deixando transparecer aspectos da pesquisa de linguagem e poética.

  O projeto TRAM(A)NTROPOFÁGICA como o próprio nome diz, propõe uma grande trama, um cruzamento, uma interligação, para formar uma rede que une cada experimento realizado ao longo da trajetória de quinze anos. O objetivo é levar a público de forma condensada, a história da Companhia, que ao longo dos anos, se esforça em responder artisticamente à trama complexa do tempo presente, investigando seus percalços políticos e travando um diálogo crítico permanente com o desenrolar histórico do próprio tecido social que o envolve: a situação política da cidade, a relação fundamental entre o grupo e seu público e, num sentido amplo, as consequências históricas do próprio desenvolvimento humano.

  Desta forma, o grupo busca investigar, sistematizar e ressignificar práticas criativas, pedagógicas e sociais que definem o fazer teatral da Antropofágica. Os fios dessa trama, que aparecem soltos e dispersos na história do grupo, serão entrelaçados de forma a configurar um tecido denso reconhecível. Trata-se de transformar o passado com os olhos do presente, a fim de vislumbrar novas possibilidades de futuro.

  TRAM(A)NTROPOFÁGICA é um marco para o grupo que comemora quinze anos fazendo história no teatro de São Paulo e agora se prepara para uma mostra do extenso repertório desta jornada, apresentando ao público desde espetáculos premiados, até aquilo que acreditam que “não deu certo”, como forma de revisitar e investigar de fato, tudo o que foi construído durante estes anos. O público é convidado para uma imersão neste trabalho que se destaca através de uma clara opção por pesquisar procedimentos, gêneros, autores e textos ligados à tradição das formas híbridas, muito propícias ao ideal antropófago que move a cada um de nós. Composta por mais de trinta integrantes, a Companhia Antropofágica propõe com este projeto, a realização de espetáculos, intervenções, oficinas e experimentos, atuando tanto em sua sede, o Espaço Pyndorama, quanto em outros espaços da cidade de São Paulo. Serão dezoito temporadas de espetáculos e mais dezenove atividades, realizadas de Setembro de 2016 a Agosto de 2017, culminando com a estreia de um novo espetáculo. Aproximadamente doze meses, com cerca de cento e quarenta e um dias de apresentação, todas gratuitas e abertas ao público geral.

  A abertura da TRAM(A)NTROPOFÁGICA acontece no dia  09 de setembro DE 2016, com o KABARÉ ANTROPOFÁGICO, quando o grupo abre a sua sede e convida a população para embarcar nesta jornada de apresentações e a participar também desta grande trama que une toda a sua pesquisa. Inspirado na tradição dos espetáculos de formas híbridas e do teatro de variedades, este Kabaré é voltado para a pesquisa musical da Companhia.

  “O Kabaré é um encontro celebrativo em uma forma híbrida que transita pelo teatro, dança, música e variedades. No Kabaré celebramos a tradição crítica, através de um repertório presente em vários trabalhos, que agrupados de outra maneira se apresentam como uma espécie de carro abre alas” – explica Thiago Reis Vasconcelos, diretor da companhia. 
  Após o Kabaré, o grupo inicia temporada em Setembro e Outubro da Trylogia Terror e Miséria no Novo Mundo, contemplada pelo Prêmio CPT 2012, na categoria Projeto Sonoro e Prêmio CPT 2013 na categoria Direção. Além de ter sido indicada no mesmo prêmio nas categorias ‘Trabalho apresentado em espaços não convencionais’ em 2012 e 2013‘Projeto Visual’ e ‘Projeto Sonoro’, em 2013.

  Sobre a Trylogia, Thiago explica: “É um trabalho de que tem como tema a história do Brasil nos períodos da Colônia, do Império e da República, respectivamente da primeira a terceira parte. Em cada uma das peças foram feitas longas pesquisas sobre os processos sócio políticos de cada período. Esses estudos foram importantes fontes que alimentavam nossa sala de ensaio, não sendo exagero dizer que transformou nossa maneira de fazer teatro. A Trylogia é um dos divisores de águas da Antropofágica, no pensamento estético-poético. E vai ser muito importante esse diálogo que vamos ter com o público neste momento político do Brasil”.

  Ainda em Outubro o grupo apresenta o Programa I: Brazyleirinhas QI, com apresentações dos espetáculos O Grande Circo da Ideologia, Furo no Casco, Estudo para o Terror e M. [Isso não é uma peça feminista]. Em novembro, é a vez de A Tragédia de João e Maria, onde o grupo apresenta uma linguagem que ficou conhecida como Teatro da Deformação, com um espetáculo livremente inspirado no conto dos irmãos Grimm. A peça é uma versão adulta e deformada de Hansel und Gretel e retrata a trajetória de duas crianças abandonadas pelos pais em meio ao desespero da fome e da impossibilidade de alimentá-los.

  O grupo finaliza as apresentações do ano em dezembro, com Prometeu: Estudo 1.1 e a comédia Macunaíma no País do Rei da Vela, primeiro espetáculo criado pela Antropofágica, retomando as atividades do projeto em 2017.  

Entre setembro e dezembro, acontece ainda os Diálogos Antropofágicos, abordando temas importantes do fazer teatral com a participação de nomes de peso como Marcelo Soler, da Cia Teatro Documentário; Luciano Carvalho, doGrupo Dolores Boca Aberta Mecatronica de Artes; Manoel Ochôa, José Cetra, Mei Hua, Rogério Guarapiran, Ney Piacentini, da Companhia do Latão, Maria Silvia Betti, Zernesto Pessoa, da Companhia do Feijão e Ana Souto.

Companhia Antropofágica tem em seu histórico outras indicações a prêmios importantes como Indicação ao Prêmio CPT 2012, na categoria Prêmio Especial pela Intervenção 22, Indicação ao Prêmio Shell 2012, Categoria Especial pelo processo de pesquisa em Máquinas de Intervenção Urbana e Indicação ao Prêmio CPT 2013, na categoria Publicação dedicada ao universo do teatro, pela Revista Bucho Ruminante nº0.  Além disso, a Antropofágica regularmente abre a sua sede, o Espaço Pyndorama, para receber importantes grupos da cena teatral de São Paulo, que apresentam temporadas e ocupam este espaço de diversas formas. A Companhia é também responsável pela realização de uma das maiores atividades teatrais de São Paulo: a Feira Antropofágica de Opinião, uma reunião de coletivos teatrais e cinematográficos, músicos, artistas plásticos e poetas de várias gerações para dar sua opinião sobre o Brasil de hoje a partir de objetos artísticos.

Todas essas atividades caracterizam um dos maiores grupos de teatro de São Paulo, que agora dá início a sua TRAM(A)NTROPOFÁGICA e convida todos os interessados a participar desta grande celebração de quinze anos de estrada.



Programação Diálogos Antropofágicos

14/09/16

O olhar do Espectador com Marcelo Soler da Cia Teatro Documentário.

21/09/16

Conversa sobre a práxis estético-política presente na Trylogia Terror e Miséria no Novo Mundo com Luciano Carvalho do Grupo Dolores Boca Aberta Mecatronica de Artes.

22/09/16

Apontamentos acerca da Iluminação Teatral na Antropofágica com Manoel Ochôa.

28/09/16

Memórias de um Espectador com José Cetra acerca da Trylogia Terror e Miséria no Novo Mundo

21/10/16

Encontro com os Dramaturgos de M. isso não é uma peça feminista, de Mei Hua, e Estudo para o Terror, de Rogério Guarapiran (haverá apresentação das peças nessa data e a conversa será realizada após as apresentações).

08/11/16

Grande Circo da Ideologia com Ney Piacentini da Companhia do Latão (haverá apresentação da peça nessa data e a conversa será realizada após a apresentação).

09/11/16

Furo no Casco e a Dramaturgia de Chico de Assis com Maria Silvia Betti (haverá apresentação da peça nessa data e a conversa será realizada após a apresentação).

16/11/16

Conversa sobre A Tragédia de João e Maria com Zernesto Pessoa da Companhia do Feijão.

07/12/16

Conversa sobre Prometeu Estudo 1.1 com Ana Souto.